quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Denúncia coloca mandatos em risco

Diário de Santa Maria

Ministério Público pediu cassação do prefeito e seu vice

O prefeito reeleito de Lavras do Sul, Paulo Alcides Vidal de Souza (PP), e o vice-prefeito eleito, Paulo César Moreira dos Santos (PP), correm o risco de perder o mandato conquistado no dia 5 de outubro, devido à denúncia do Ministério Público (MP) por suposta compra de votos. A audiência será realizada hoje (ontem 13/01) no Fórum da cidade para ouvir os dois políticos, um dos coordenadores de campanha e ainda as testemunhas.

Segundo a denúncia do promotor Francisco José Borges Motta, o prefeito teria comprado o voto de um eleitor em troca de uma máquina de cortar grama. O Ministério Público pede a cassação do prefeito e do seu vice, mais o pagamento de multa.

A promotora substituta em Lavras do Sul, Cíntia Foster de Almeida, diz que o MP juntou diversas provas durante a investigação. De acordo com a promotora, há uma gravação do prefeito, depois das eleições, dizendo para o eleitor que a máquina de cortar grama dele estaria garantida.

– Foi feita toda uma investigação durante o período eleitoral e reunidas várias provas – afirma a promotora.

Conforme o prefeito Paulo Alcides Vidal de Souza, que disse falar por ele e por seu vice, as denúncias foram inventadas. O chefe do Executivo alega estar sofrendo perseguição política. Segundo Souza, depois que terminara as eleições, ele teria sido alvo de mais de 20 denúncias, mas a maioria teria sido arquivada.

– Inventaram um monte de coisas. As pessoas veem uma coisa e dizem que é outra. Filmam os carros da prefeitura para saber onde estão indo. Não se conformaram de ter perdido a eleição – argumenta Souza.

O juiz eleitoral Felipe Valente Selistre irá ouvir os três denunciados e as testemunhas para, depois, decidir se cassará ou não os eleitos. Tanto o Ministério Público quanto os acusados poderão recorrer da decisão no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

15 comentários:

  1. Felipe. Parabéns pelo trabalho. Sempre que puder vou colaborar! O que vai acontecer no caso de uma cassação? Novo pleito?

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  3. Assume o segundo mais votado na eleição.

    ResponderExcluir
  4. Como se a vontade das urnas fosse decidida por um Juiz de Direito, com acusações infundadas, que serão esclarecidas nos tribunais competentes. Aguardem o Julgamento final e cuidado pois as coisas não estão boas para o Ex-Prefeito Aristides Costa. Novidades Virão em breve..

    ResponderExcluir
  5. Ninguem assume meu querido..
    Até ultima instância segue o resultado das urnas, a soberania popular, a democracia, enfim eleição de fato, e não denúncias por parte dos derrotados nas URNAS no dia 05 de Outubro.

    ResponderExcluir
  6. Além do Mais olhem para a cidade, reflitam e avaliem se foi preciso para a reeleição do paulinho comprar voto com máquina de cortar grama.. Por Favor Vamos achar uma ocupação, ou achar quem vendeu e quem comprou os outros 592 votos da diferença para o 2. colocado.

    ResponderExcluir
  7. Querida (o) "comitedd":
    Não pré-julgo absolutamente ninguém. Mas se existe uma denúncia que gerou uma cassação, isso é um acontecimento de relevância pública e que todos os cidadãos devem ter consciência. E como em Lavras do Sul não existe imprensa, este blog tenta fazer o mínimo para que o povo não se mantenha na alienação.
    Não preciso que me digas que a presente denúncia é passível de recurso ao TRE e ao TSE, pois sei bem como funciona. Mas, caso os recursos sejam negados, quem assumirá?
    A paixão "ideológica", às vezes, cega a mais aguçada das visões.

    ResponderExcluir
  8. CASO HAJA CONDENAÇÃO NO TSE, APÓS JULGAMENTO NO TRE, HAVERÁ NOVA ELEIÇÃO, POIS O TERCEIRO COLOCADO TAMBEM FOI CONDENADO POR COMPRA DE VOTOS, SOMANDO ASSIM MAIS DE 50% DOS VOTOS VÁLIDOS. SUGIRO AINDA O AUTOR DESTE BLOG JORNALISTICO FICAR A PAR DO TEOR DA DENÚNCIA E NÃO COPIAR MÁTERIA VEICULADA EM JORNAIS DE GRANDE CIRCULAÇÃO. ALÉM DO MAIS OS AUTORES DA DENÚNCIA(PDT) DEVEM, ANTES DE MAIS NADA, EXPLICAR OS DINHEIROS DE ORIGEM DUVIDOSA ENCONTRADOS NAS CONTAS DO CANDIDATO ARISTIDES, BEM COMO DE PESSOAS LIGADAS A SUA CANDIDATURA..

    ResponderExcluir
  9. VALE RESALTAR QUE O EX-PREFEITO EM QUESTÃO ESTAVA MUITO BEM AMPARADO JURÍDICAMENTE, FALTOU APENAS OS VOTOS NECESSÁRIOS PARA VENCER A ELEIÇÃO. POIS ELEIÇÃO SE GANHA NAS URNAS E NÃO NA JUSTIÇA.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. asta ver a manifstação do povo após a decisão do juiz em acatar o efeito suspensivo do recurso, para saber o que o povo de Lavras do Sul quer. As denúncias são infundadas e elaboradas por quem não tem conhecimento, ou melhor, por pessoas que não tiveram capacidade de ganhar nas urnas e querem reverter a decisão por meios impróprios. Será que o prefeito eleito pelo povo e de forma democrática comprou os 593 votos??? A era Aristides acabou...Só resta ele se atirar nos braços do Pompeo, pois em Lavras ele não se elege nem para presidente do clube de tão sem vergonha que é. A propósito ele já exlicou da onde saiu o dinheiro que entrou na sua conta, ao invés de entrar na conta do comitê...

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Comitedd:
    Percebas em teu próprio discurso que admites a "compra de voto" de seu candidato, onde tu dizes: "POIS O TERCEIRO COLOCADO TAMBEM FOI CONDENADO POR COMPRA DE VOTOS". Compra de votos é crime passível de casssação de mandato. A questão aqui não são transgressões do ex-prefeito Aristides, e sim a do atual. Se os fatos fossem inversos, onde o Sr. Aristides fosse eleito e denunciado por ilicitudes, o presente blog teria o mesmo empenho em publicar, por se tratar de veículo apartidário.

    ResponderExcluir
  14. Comiteed:
    Veja no topo da reportagem a origem da matéria. Não foi uma cópia como tu disseste, pois os CRÉDITOS estão publicados junto com a reportagem. Portanto, não constitui plágio, apenas reprodução.
    Sugiro ao caro leitor observar estas coisas antes de faltar com a verdade, bem como se identificar, pois percebo coerência política em partes do teu discurso. Seria melhor para a discussão.

    ResponderExcluir